9 de janeiro de 2017

DO OBJETIVO

Art. 1º – O Campeonato Baiano de Corrida de Aventura( CBCA ) tem por objetivo:

I – Organizar um calendário anual de competições de corrida de aventura no estado da Bahia, aproveitando as competições que já são organizadas de forma independente;

II – Especificar os critérios de pontuação das equipes participantes a fim de estabelecer um ranking das melhores equipes, utilizando-se da classificação final das competições previamente habilitadas para participar do referido campeonato;

III – Incentivar a prática deste esporte, divulgando a potencialidade do estado para as atividades esportivas de aventura, priorizando a qualidade técnica e proporcionando um grande desafio para os atletas.

DO PERCURSO

Art. 2º – O percurso das provas do CBCA tem distância mínima de 50km, em trajeto não balizado, classificado por critério de distância, e para fins de pontuação, como:

I – Percurso TIPO I: Entre 50km e 100km;

II – Percurso TIPO II: Entre 100 e 150km;

III – Percurso TIPO III: Acima de 150km.

§ 1º – Todas as competições pertencentes ao Campeonato Baiano poderão disponibilizar, além dos percursos oficiais, um percurso especial com distância máxima de 40km e baixo grau de dificuldade na modalidade navegação que receberá a denominação de LIGHT, voltado exclusivamente para as equipes optantes pelo percurso LIGHT.

Art. 3º – Cada Organizador deverá comunicar a FBCA e aos inscritos, no momento da inscrição, qual será o percurso válido para pontuação no CBCA para cada categoria, podendo ser o mesmo para todas.

DAS MODALIDADES

Art. 4º – Cada etapa deverá conter uma combinação das modalidades esportivas mountain bike, trekking, canoagem, natação, bóia-cross, canyoning e técnicas verticais além da obrigatoriedade da modalidade Orientação/Navegação, de acordo com o tipo do percurso:

  • TIPO I – No mínimo 3 (três) modalidades esportivas quaisquer, além de Orientação/Navegação;
  • TIPO II – No mínimo 4 (quatro) modalidades esportivas quaisquer, além de Orientação/Navegação;
  • TIPO III – Obrigatoriamente as modalidades Trekking, Mountain Bike e Canoagem, mais uma qualquer diferente, além de Orientação/Navegação.

DOS ORGANIZADORES

Art. 5º – A participação das competições no CBCA é restrita aos organizador autorizados pela FBCA.

Art. 6º – É responsabilidade do organizador repassar à FBCA o valor de R$10,00 por atleta inscrito na competição de sua responsabilidade no prazo máximo de 5 dias antes da realização do evento.

Art. 7º – É responsabilidade do organizador enviar para a FBCA em até 10 (dez) dias após a data da realização do evento, os seguintes documentos:

I – Relação das equipes/atletas inscritos, com seus respectivos dados cadastrais e identificação do capitão;

II – Classificação final das equipes por categoria;

III – Planilha com classificação PC a PC de cada equipe, descrevendo a modalidade praticada, o tempo gasto e a quilometragem percorrida para alcançar o PC;

IV – Relatório com descrição detalhada de qualquer contratempo ocorrido que tenha prejudicado o andamento natural da competição e eventualmente gerado manifestação negativa por parte dos atletas;

Art. 8º – É obrigatória a utilização da logomarca do FBCA nos itens de divulgação do evento.

DAS ETAPAS

Art. 9º – O Campeonato Baiano de Corrida de Aventura 2017 será composto das seguintes etapas:

I – Noite do Perrengue; Local : Litoral Norte; TIPO II; Data : 11/03;

II – Peleja; Local: Recôncavo Baiano; TIPO II; Data: 29/04 a 01/05;

III – Mandacaru; Local: Costa do Dendê; TIPO II; Data: 06/08;

IV – Desafio dos Sertões; Local : Vale do São Francisco; TIPO III; Data: 07 a 10/09;

V – Corrida do CT Gantuá; Local: Chapada Diamantina; TIPO II; Data: 2 a 5/11.

DAS EQUIPES

Art. 10º – O Campeonato Baiano de Corridas de Aventura é disputado por equipes, nas seguintes formações:

  • QUARTETO MISTO – Composta por 4 integrantes, obrigatoriamente de ambos os sexos;
  • DUPLAS – Composta por 2 integrantes dos sexos masculino ou feminino.

Art. 11º – Toda equipe deverá possuir um Capitão, que será responsável por formalizar junto a FBCA o nome e os integrantes que participarão da equipe em cada etapa.

Art. 12º – Não serão permitidas inscrições de equipes com o mesmo nome.

Art. 13º – É permitido modificar os integrantes de uma equipe no decorrer do Campeonato Baiano.

Art. 14º – É permitido ao competidor ser integrante de equipes diferentes, em etapas diferentes, durante o Campeonato Baiano de Corrida de Aventura.

Art. 15º – As equipes radicadas em outros estados poderão participar e pontuar no Campeonato Baiano de Corrida de Aventura, desde que filiadas à FBCA, e estarão incluídas no cálculo final de classificação de cada etapa. Para filiar-se, basta correr uma etapa do Campeonato Baiano de Corrida de Aventura 2017.

DAS CATEGORIAS

Art. 16º – Para efeito de pontuação e ranking o Campeonato Baiano de Corridas de Aventura terá as seguintes categorias:

  • QUARTETO MISTO – Categoria na qual participam equipes com formação QUARTETO MISTO;
  • DUPLA MASCULINA – Categoria na qual participam equipes com formação DUPLA, com ambos os membros do sexo masculino;
  • DUPLA MISTA/FEMININA – Categoria na qual participam equipes com formação DUPLA com um membro do sexo masculino e outro do sexo feminino ou dois integrantes do sexo feminino.
  • LIGHT – Categoria na qual participam equipes com formação DUPLA, na qual AMBOS os membros, de qualquer sexo, optem por percorrer, caso seja disponibilizado pelo organizador, o percurso LIGHT.

DA PONTUAÇÃO

Art. 17º – O CBCA adotará como ferramenta de classificação um ranking de equipes por categoria, baseado na maior pontuação obtida no decorrer do CBCA.

Art. 18º – A pontuação de cada etapa se dará em função da classificação obtida por cada equipe ao final de cada etapa, sendo responsabilidade do organizador informar a FBCA tal classificação com prazo máximo de 10 dias a contar do encerramento da referida etapa, considerando a seguinte tabela:

1º Lugar – 100 Pt 11º Lugar – 34 Pt 21º Lugar – 20 Pt 31º Lugar – 10 Pt
2º Lugar – 89 Pt 12º Lugar – 31 Pt 22º Lugar – 19 Pt 32º Lugar – 9 Pt
3º Lugar – 79 Pt 13º Lugar – 29 Pt 23º Lugar – 18 Pt 33º Lugar – 8 Pt
4º Lugar – 70 Pt 14º Lugar – 27 Pt 24º Lugar – 17 Pt 34º Lugar – 7 Pt
5º Lugar – 62 Pt 15º Lugar – 26 Pt 25º Lugar – 16 Pt 35º Lugar – 6 Pt
6º Lugar – 55 Pt 16º Lugar – 25 Pt 26º Lugar – 15 Pt 36º Lugar – 5 Pt
7º Lugar – 49 Pt 17º Lugar – 24 Pt 27º Lugar – 14 Pt 37º Lugar – 4 Pt
8º Lugar – 44 Pt 18º Lugar – 23 Pt 28º Lugar – 13 Pt 38º Lugar – 3 Pt
9º Lugar – 40 Pt 19º Lugar – 22 Pt 29º Lugar – 12 Pt 39º Lugar – 2 Pt
10º Lugar – 37 Pt 20º Lugar – 21 Pt 30º Lugar – 11 Pt ≥ 40º Lugar – 1 Pt

Parágrafo único – A tabela acima servirá de base para o cálculo da pontuação de uma determinada prova, pois alguns fatores poderão aumentar este valor conforme a fórmula abaixo:

P = Tabela x Fator Percurso x Fator Modalidades

I – FATOR PERCURSO

  • Percurso TIPO I tem fator multiplicador = 1,00
  • Percurso TIPO II tem fator multiplicador = 1,10
  • Percurso TIPO III tem fator multiplicador = 1,25

II – FATOR MODALIDADES

  • Modalidades TIPO I tem fator multiplicador = 1,00
  • Modalidades TIPO II tem fator multiplicador = 1,10
  • Modalidades TIPO III tem fator multiplicador = 1,25

Art. 19º – A ordem de classificação das equipes em cada etapa, para fins do ranking do CBCA segue os seguintes critérios:

I – Classificarão nas primeiras colocações as equipes que percorreram a totalidade do percurso, na ordem e critérios definidos pelo Organizador, conforme a ordem de chegada das mesmas;

II – Classificarão imediatamente após o item I as equipes que percorreram parcialmente o percurso, na ordem e critérios definidos pelo Organizador, conforme a ordem de chegada;

Parágrafo único – Os critérios de desclassificação e consequente não pontuação na etapa serão definidos e divulgados pelos respectivos organizadores, cabendo a FBCA apenas o cálculo da pontuação relativa à colocação final informada pelo organizador.

Art. 20º – Em caso de empate na pontuação, ficam definidos os seguintes critérios de desempate, em ordem:

  • 1º critério: Equipe que concluiu totalmente o maior número de provas;
  • 2º critério: Maior número de vitórias;
  • 3º critério: Maior número de segundos lugares;
  • 4º critério: Maior número de terceiros lugares;
  • 5º critério: Melhor colocação na última etapa.

Art. 21º – Todos os atletas que participarem das etapas do Campeonato Baiano receberão uma pontuação individual correspondente à pontuação obtida por sua equipe.

§ 1º – Será formado com essa pontuação um ranking individual masculino e um ranking individual feminino que irão indicar de forma justa e não subjetiva os dois melhores atletas do Campeonato Baiano de Corrida de Aventura no ano.

§ 2º – Este ranking também será usado para indicar os atletas da FBCA ao prêmio de Melhores do Ano da SUDESB.

DOS TEMPOS DE PROVA

Art. 22º – Será obrigatória em cada prova a existência de tempo limite de prova e definição de cortes, devendo ser determinados pela organização de cada etapa, baseando-se na distância total da prova, nos estudos do terreno, trajetos e nas modalidades, prezando pela segurança e a boa logística da competição.

Art. 24º – Todos os tempos limites e critérios de continuação do percurso deverão ser informados no briefing técnico que antecede à prova, constando também todas estas informações no Livro da Corrida – Passaporte – caso ele exista.

§ 1º – A organização da prova reserva-se no direito de intervir em tempos de prova, percurso e modalidades, visando salvaguardar a integridade física das pessoas envolvidas no evento e a boa logística da prova.

§ 2º – A alteração do tempo limite de corte ou de prova, ou estabelecimento de corte de segurança, poderá ocorrer antes do referido PC/AT ou até no próprio PC/AT do corte ou chegada.

§ 3º – Qualquer alteração, seja no tempo limite de corte ou de prova, ponto de corte ou modalidades devem ser informados às equipes, devendo estas, obrigatoriamente, assinar o recebimento da mensagem.

DAS PENALIDADES

Art. 25º – Além das penalidades definidas pelos organizadores, apropriadas as competições de sua responsabilidade, deverão ser incluídas nos regulamentos de todas as provas do campeonato baiano a penalidade de “não pontuação na etapa”, toda e qualquer equipe que:

I – Receber qualquer tipo de apoio não autorizado durante a competição;

II – Não usar a camisa, ou o colete da prova, de acordo com as normas da competição, caso exista;

III – Cometer atitudes antidesportivas, agressivas e/ou destrutivas;

IV – Usar qualquer meio de transporte não autorizado pela organização para avançar na competição;

V – Usar mapa não autorizado;

VI – Usar guia local para conduzir a equipe ou integrante para obter vantagem;

VII – Agredir verbal ou fisicamente algum participante da corrida, membro do staff ou pessoas naturais da região;

VIII – Usar GPS ou qualquer outro dispositivo eletrônico semelhante durante as provas;

IX – Não seguir orientação de segurança emitida por membro do staff da prova.

Art. 26º – O organizador deverá definir, a seu critério, penalidade de tempos às equipes que infringirem regras de caráter não desclassificatório, bem como aplicar tal penalidade nos casos em que a equipe:

I – Não apresentar equipamento obrigatório para a modalidade;

II – Não apresentar kit médico obrigatório em sua totalidade( exceto em caso de uso durante a competição).

DOS RECURSOS

Art. 27º – A equipe poderá entrar com recurso por escrito, entregue pelo capitão da equipe, até 1 hora após a chegada da última equipe de sua categoria, mediante documento assinado por todos os atletas da equipe e com o pagamento no valor de uma inscrição para a equipe (considerando o valor inicial das inscrições na prova em que entrar com o recurso).

Art. 28º – O recurso por escrito deverá ser entregue ao diretor técnico da prova em que ele estiver solicitando o recurso. Não serão aceitos pedidos de recursos após este prazo, mesmo que com provas explícitas.

Art. 29º – O recurso será avaliado, em até 10 dias, por um júri composto pelo diretor técnico da prova e se juntarão a ele: 2 (dois) capitães de equipe (não membros da FBCA) participantes da competição, sorteados durante o briefing técnico e 2 (dois) representantes da FBCA. Este grupo será anunciado durante o briefing técnico da competição e estará apto a julgar qualquer recurso que esteja dentro dos critérios do art. 27º Art. 28º.

Art. 30º – Se o capitão sorteado no briefing fizer parte da equipe reclamante, será convocado pelos representantes da FBCA pertencentes ao juri, um capitão substituto de outra equipe.

Art. 31º – A decisão do júri é soberana, não cabendo recursos, de forma que as Equipes que não respeitem esta regra estarão imediatamente desclassificadas do CBCA

Art. 32º – O valor recolhido para avaliação do recurso só será devolvido caso seja julgado procedente a reclamação. Caso o recurso não seja procedente, este valor será destinado ao caixa da Federação Baiana de Corrida de Aventura (FBCA).

DA FINAL DO CAMPEONATO BRASILEIRO

Art. 33º – As vagas para a Final do Campeonato Brasileiro de Corrida de Aventura são preenchidas conforme a classificação final do Ranking Oficial do Campeonato Baiano de Corrida de Aventura, elaborado pela Federação Baiana de Corrida de Aventura.

Art. 34º – Os 2 (dois) primeiros quartetos terão direito a inscrição gratuita na Final do Campeonato Brasileiro de Corrida de Aventura, conforme regras da Confederação Brasileira de Corrida de Aventura.

Art. 35º – Para as duplas, serão 2 (duas) vagas e valerá a classificação geral, independente de ser dupla masculina, mista ou feminina, também com inscrições gratuitas.

Art. 36º – A classificação para a final do Campeonato Brasileiro será correspondente a classificação final do Campeonato Baiano de Corrida de Aventura.

Art. 37º – As equipes deverão confirmar presença no campeonato brasileiro até a data limite estabelecida pela CBCA, para que em caso de desistência sejam convocadas outras equipes subsequentes no ranking.

Art. 38º – As informações relativas ao Campeonato Brasileiro podem ser visualizadas no site: http://www.cbcaventura.org.br

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Art. 39º – Todos os casos omissos a este regulamento do Campeonato Baiano de Corrida de Aventura serão sanados pela Diretoria da FBCA.

Art. 40º – Cada participante do CBCA é um fiscal do mesmo, tendo a obrigação de comunicar erros feitos em lançamentos, inclusive os de seu próprio resultado.

Art. 41º – As provas do Circuito Baiano de Corrida de Aventura (CBCA) poderão ter regulamentos complementares, desde que respeitem todas as regras do Campeonato Baiano de Corrida de Aventura.